Mas como?

Bom dia!!

Ontem fiz um post comentando que andava desanimada e estou “sacudindo a poeira”. Hoje queria aproveitar para compartilhar mais algumas coisas a respeito, esperando que isso ajude um pouquinho caso seja o seu caso.

Primeiro pensei bastante; aproveitei que já estava “nessa” de refletir e analisei tudo: como eu estou em relação à carreira, estudo, família, como estou agindo, como estou pensando, meus hábitos, etc. Como comentei ontem, acabei ficando um pouco desanimada, frustrada.

Já havia parado de ir à academia, estava lendo pouco e me entreguei às séries como única forma de me distrair, já que parava um pouco de pensar enquanto prestava atenção nos episódios. Meu namorado me deu bastante força nesse período: dividi tudo isso com ele, que foi compreensivo e ajudou com conselhos; também fizemos vários programas legais, o que ajudou a não desanimar de vez. Minha família também, direta e indiretamente me deram ânimo e incentivo. Também teve vários programas familiares bacanas.

Bueno, onde quero chegar? Resolvi fazer uma listinha (adoro listinhas, hehe) do que ajudou:

– Contar com o apoio do namorado e da família (e evitar descontar as frustrações neles!), fazer programas caseiros – ou não – com eles (adoro aqueles com a família toda reunida);

– Tirar um tempo pra estar com as(os) amigas(os), conversar e dar boas risadas;

– Retomar as atividades físicas (comecei caminhando com o namor ou com uma amiga), mesmo que seja aos poucos;

– Dar mais atenção aos bichinhos de estimação. Brincar, faça carinho, dar colo… e verificar o resultado na melhora do astral.

– Li mais, e foquei na qualidade; evitei livros pesados demais que poderiam me deixar ainda mais pra baixo; e alternei as leituras “convencionais” com livros espíritas (gosto muito dos ditados por Antônio Carlos) que me fizeram muito bem;

– cozinhei (pra mim é um prazer, ainda mais quando fica gostoso e vejo as pessoas saboreando com prazer);

– foquei no “exterior”: mudanças interiores costumam ser lentas e graduais, então me estimulei cuidando um pouco da aparência (se olhar no espelho e gostar pode ser um incentivo, ao contrário de se ver com olheiras, pálida, com a pele ressecada, cabelo mal cuidado…)

– identifiquei o que precisa ser mudado e estou fazendo um “levantamento” do que tenho que fazer.

– orei. Independente de religião ou credo, o ato de orar sinceramente sempre faz bem, e é uma coisa muitas vezes esquecida. Ore sinceramente, peça ajuda, agradeça.

– Pensar nas coisas boas que aconteceram e estão acontecendo. Focar só no que é ruim não dá!

– Renovei os planos. O que ainda quero? O que não quero mais? Quais meus planos novos?

– Limpei e arrumei. Faxinei as gavetas e armários, separei coisas para doar e para consertar, e eu mesma costurei e colei várias coisas, o que me deu uma sensação muito boa de ser útil e relativamente independente.

Pois é, gente. Foi mais ou menos esse aí o caminho. Nada complicado. O post ficou parecendo uma página de livro de auto-ajuda, mas é esse o meu momento, é isso o que eu tinha para dividir, e espero que ajude quem estiver passando pela mesma coisa.

Abração!

 

Anúncios

Comente

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s