Revendo o guarda-roupas (Parte I – Desapega!)

O inverno ainda não chegou, mas o friozinho já está dando as caras em muitas regiões. Assim, é natural que muita gente (inclusive eu) comece a mudar as coisas de lugar no guarda-roupas, deixando as roupas para o frio mais acessíveis. Mexendo aqui e ali, voltando a olhar roupas que há tempos a gente não reparava (normal nas regiões de verão muuuuito quente e inverno muuuuito frio), a gente também começa a perceber que tem muitas peças que não usamos mais, seja por não servir, por estarem puídas ouPilhas de roupas outros motivos, os mais diversos.

Pois então… essas roupas estão ali sem uso, ocupando espaço e fazendo falta pra alguém que as aproveitaria melhor, seja por necessidade de se esquentar ou pra mudar seus looks. Então… desapega!!! Eu sei que tem roupas com valor sentimental e que a gente quer guardar pra sempre… mas também tem aquelas que você comprou e nem usou, aquela blusa que você não gosta mais e que sua mãe, irmã, amiga, prima, enfim… adora! Você vai liberar espaço, fazer a alegria de alguém (o mais importante), se sentir bem com isso, e ainda rever suas roupas e ter ideias para novos looks.

Esse assunto dá tanto pano pra manga, que resolvi dividí-lo. O post de hoje, portanto, foca na separação das roupas que você não usa mais e sua destinação.

Então, vamos às sugestões:

– Reserve um tempo (no mínimo umas duas horas, pra fazer tudo com calma) pra fazer a organização;

– experimente todas as roupas. Isso mesmo, TODAS;

– separe-as em pilhas: serve, não serve (que formarão também “doação” e “conserto”);

– pegue a pilha que não serve e analise os motivos:

  •  Engordou?
    Se pretende emagrecer, guarde. Pode ser fora do guarda-roupas, em uma caixa por exemplo (pra não se frustrar a toda hora, tentando vestir e não conseguindo) ou dentro, mas em um cantinho ou pilha separados, pra servir de incentivo.

    Se está bem assim, e não pretende emagrecer, 
    coloque na pilha para doação (a menos que você pretenda ajustar, não tem por quê guardar né?!).
  • Emagreceu?
    Era o que você queria?
    Se está fazendo reeducação alimentar, “confie no seu taco”!! Se mudou seus hábitos, pare de pensar “no caso de engordar de novo”. Manter as coisas tamanho XXXLLLL é um incentivo para o descontrole da dieta! Tenha persistência e trate de doar ou ajustar suas roupas antigas!! (Atenção: se está fazendo dietas malucas, esteja ciente de que sem exercícios e dieta balanceada, provavelmente você precisará de novo das roupas. Mas esse é outro assunto!)

    Se quer recuperar o peso antigo,
    guarde, dentro ou fora do guarda-roupas, mas em um cantinho ou pilha separados, pra não perder tempo e ir direto ao que serve bem na hora de se vestir.

– Pegue a pilha que serve. Essa é geralmente a parte mais complicadinha. Tente ser objetiva e desapegada!

– Veja o que precisa de conserto (faltando botão, descosturando, etc.), ponha em uma pilha separada;

– veja o que você não usa mais há tempos. Por que razões?

  • Está manchado, rasgadinho ou puído, “não dá mais pra sair na rua”: Se não é possível ou você não quer consertar, doe (se ainda der pra usar, claro. É melhor ter uma roupa com furinho do que não ter nenhuma, e tem muita gente precisando – mas se a roupa está inutilizada, não adianta).
  • “Enjoei”. Pois muito bem… veja se poderia customizá-la de alguma forma, ou avalie se é uma peça clássica que você voltará a usar; se a resposta for não… doe!
  • “Adoro, mas ‘saiu de moda'”. Ah, é?! Eu te pergunto: e daí?? Se gosta, use!! Mais importante que seguir tendências (que francamente, às vezes são horríveis) é ter e seguir o próprio estilo. Pior que estar “fora de moda” é estar vestida com coisas que não tem nada a ver com você. Se ainda não se convenceu, é só usar uma peça mais atual para modernizar o visual. De qualquer forma, a moda está muito mais democrática do que há alguns anos atrás, aproveite.
  • “Comprei e nunca usei…” Eu nem preciso dizer muito né?! Quanto tempo faz que comprou? Três, cinco, dez anos? Use agora mesmo, customize ou passe adiante!
  • Outras situações: veja se ainda quer guardar a peça, caso contrário passe adiante!Te

“Terminei, o que eu faço agora?”

Bem, agora você já deve ter várias pilhas de roupas aí. Pegue as que precisam de conserto, separe e posteriormente faça o que tiver de fazer (mandar para a costureira, tingir, pregar botão etc.). Deixe de lado a pilha das que você manterá, depois veremos o que fazer. Concentre-se agora nas roupas a doar:

Escolha o que você irá fazer com cada peça: dar a alguém, doar para a campanha do agasalho (já deve ter alguma aberta na suaCampanha do Agasalho cidade, se não separe e espere), para bazares ou briques beneficientes (a Liga Feminina de Combate ao Câncer da minha cidade é uma das entidades que promove – se chama Brique da Liga -, veja se na sua também tem).

Essa é uma pilha muito especial, pois vai fazer alguém muito feliz. Seja generosa e desapegue… faz muito bem pro coração saber que o que a gente não usa mais será bem recebido e bem aproveitado.

– as roupas que você decidiu manter, bem… vamos tratar da organização do guarda-roupas no próximo post! Enquanto isso, aproveite que estão fora do guarda-roupas e teste outros looks, diferentes do que você costuma usar. Tenho certeza  de que depois dessa “faxina” vai estar bem inspirada pra fazer isso!!

p.s.: procure fazer isso em um daqueles dias de inspiração para limpeza, e se estiver sentindo remorso por se desfazer de uma roupa, guarde mais um pouco. Afinal, além de fazer bem aos outros, essa limpeza tem de fazer bem a você, fazê-la sentir leve e satisfeita.

Anúncios